Voltar

Caminhos para a Cidadania aborda a importância das Mulheres para a Ciência

10.03.2022 | Educação

No mês Internacional da Mulher, o Instituto CCR, por meio do Caminhos para a Cidadania, um dos mais respeitados projetos de empoderamento de professores no Brasil, levará um tema fascinante para os alunos e professores do Ensino Fundamental I: a importância das mulheres para a Ciência.

Despertando a atenção para a baixa presença feminina na produção científica do País. O assunto faz parte da agenda de debates, orientações e serviços à população que a CCR está promovendo em março, o mês das Mulheres. Segundo dados da Unesco (base 2020), as mulheres ocupam apenas 30% das cadeiras de cientistas no mundo – seja em laboratórios, no mercado privado ou no ambiente acadêmico.

No Brasil, as mulheres representam 54% do total de estudantes de doutorado. Num primeiro olhar, o dado traz otimismo. Afinal, o número seria motivo de comemoração, certo? Porém, quando confrontado com a realidade prática da vida científica, o cenário apresenta: apenas 23% das mulheres recebem algum tipo de incentivo por produtividade.

Como pensar, desde cedo, o papel das Mulheres e Meninas na Ciência?

Para começar a responder a essa e a outras questões, o Caminhos para a Cidadania preparou conteúdos para alunos de 1º e 2º anos, e também para 3º, 4º e 5º anos. Simplificando: para estudantes em alfabetização e já alfabetizados. Confira o link que já está disponível no portal do programa. Veja aqui.

“As atividades propõem a conscientização sobre a importância do papel das mulheres na Ciência, e destacando que elas possuem competência para trabalhar em outras profissões, vistas antigamente somente para os homens. Além disso, o programa Caminhos para a Cidadania, gerenciado pelo Instituto CCR, busca disseminar as informações sobre as cientistas, trazendo reflexões para os educadores e alunos nas atividades propostas”, explica Débora Aguiar, responsável pelo programa.

- As atividades propostas podem ser aplicadas em formato remoto ou presencial.

Como pensar o presente (e o futuro) das mulheres na Ciência?

A programação do Caminhos também mostrará os aspectos positivos e as conquistas já consolidados das mulheres no ambiente científico. Por exemplo: no Brasil, 70% da força de trabalho da área da Saúde é feminina. Outro ponto de destaque: a participação extraordinária das pesquisadoras Ester Sabino e Jaqueline Goes de Jesus, que lideraram um grupo só de mulheres cientistas no sequenciamento do genoma do novo coronavírus.

Mostrando empoderamento e a força de superação de nossas mulheres. Vale destacar que a programa traz, como sugestão, uma rodada de apresentação, para que os alunos expliquem o que entenderam sobre a exploração científica, além de conhecer mais sobre as cientistas. “Estamos levando a Ciência para o coração do debate escolar, pois o ensino fundamental reúne as condições muito especiais de sensibilização e poder de influência positiva na cultura de mundo e de vida dos alunos”, completa Débora Aguiar.


Autor: Divulgação