Voltar

Metodologia ativa do Caminhos para a Cidadania incentiva alunos a serem protagonistas na hora de aprender

30.05.2019 | Educação e Cidadania

Há 17 anos, o Caminhos para a Cidadania atua a fim de que segurança no trânsito, mobilidade urbana e cidadania sejam pautas prioritárias na sociedade. Com abordagem didático-pedagógica, o programa ajuda na construção de uma comunidade mais consciente, preservando vidas e formando jovens cidadãos.

Atualmente, a iniciativa atua em sala de aula com a metodologia ativa. Trata-se de uma prática de ensino que coloca os alunos como agentes ativos do processo de aprendizagem. Eles são protagonistas e não apenas ouvintes ou consumidores de informação, sendo estimulados a refletirem acerca do que estão aprendendo.

“A metodologia ativa pode ser uma grande aliada nas escolas para a implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). No programa, ela aparece nas atividades que propomos para o professor aplicar em sala e vai além da apostila, proporcionando experiências significativas aos alunos”, comenta Kelly Lima, consultora pedagógica do programa. 

Os benefícios são múltiplos, segundo Kelly. Ela apresenta uma teoria do psiquiatra americano William Glasser: de maneira geral, as pessoas aprendem 10% lendo, 20% escrevendo, 50% escutando e observando, 70% discutindo com outras pessoas, 80% praticando e 95% ensinando. “Ou seja, com a metodologia ativa, os alunos são instigados a observar, refletir, discutir e praticar. Eles experimentam vivências que os farão internalizar os conteúdos de modo mais potente”, reforça Kelly. 

 

Caminhos para Cidadania Caminhos para Cidadania
Autor: Divulgação