Voltar

Rompendo Barreiras

20.02.2019 | Cultura e Esporte

Um olhar para a inclusão social
Cuidar da inclusão de pessoas com deficiência visual por meio da arte. Esse é o objetivo do Rompendo Barreiras, que nasceu em 2016, com a parceria do Instituto São Rafael e da Sociedade de Amigos do Deficiente Visual, de Minas Gerais.  A iniciativa foi selecionada no 3º Edital de Projetos Culturais do Instituto CCR e é realizada no trecho de atuação da concessionária BH Airport.
Além de proporcionar ao portador de deficiência visual atividades e ações de inclusão e de convívio, o Rompendo Barreiras realizará, neste ano, o Festival de Todas as Artes, com muita música, poesia, artes plásticas, teatro, artesanato e culinária. “Tudo será representado pelos talentos desse público especial”, diz Sérgio Luiz de Oliveira, produtor e monitor do Rompendo Barreiras.
O projeto oferece até cem inscrições nas oficinas e no coral. “Estar nas atividades e ter o convívio em grupo são grandes alegrias para os alunos, principalmente quando se apresentam em espaços públicos. E essas ações envolvem toda a família do participante”, enaltece Luciano Dias, supervisor técnico do projeto.


Apoio do Instituto CCR
Para Sérgio, o Instituto CCR contribui de forma singular para a perspectiva da inclusão. “Essa parceria demostra à sociedade que ter deficiência visual não  impede a realização de nenhuma atividade. O que precisamos mesmo é de oportunidade, acessibilidade e inclusão. E, por meio da arte, temos essa chance.  A continuidade desse projeto trará vitalidade, esperança e alegria, transformando sonhos em realidade”, enaltece.
O apoio do Instituto CCR é, portanto, essencial para a continuidade do Rompendo Barreiras, permitindo a sequência das atividades musicais. Elas têm como objetivo o desenvolvimento de potencialidades, talentos, habilidades e aptidões físicas, cognitivas, sensoriais, psicossociais, atitudinais, profissionais e artísticas que ajudam na conquista da autonomia. “A alfabetização musical permite que eles exerçam atividades pedagógicas e trabalhem como instrumentistas. A meta é formar, capacitar e integrar”, finaliza Luciano.
 

Projeto Rompendo Barreiras Projeto Rompendo Barreiras
Autor: Divulgação