Voltar

Por meio do Fumcad, CCR ViaOeste e Instituto CCR apoiam projetos voltados a crianças e adolescentes

21.05.2018 | Cultura e Esporte

O Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fumcad) foi criado com o apoio do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei Federal 8096/90) para direcionar recursos financeiros a projetos sociais que contribuam para a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

Por meio do Fumcad, empresas podem aportar até 1% de seu imposto de renda devido para projetos voltados a crianças e adolescentes.

A CCR ViaOeste apoia projetos dessa forma, em parceria com o Instituto CCR. Segundo Daniele Rolim, analista da área de Relações Institucionais da concessionária, o Fumcad é importante porque permite o incentivo a projetos locais, voltados às crianças e adolescentes dos municípios que estão no entorno das rodovias.

“Esse não é o único benefício. Percebemos que muitas instituições dessas cidades atuavam na informalidade e buscaram a regularização para ter a oportunidade de receber apoio por meio do Fumcad. Ou seja, há também o desenvolvimento das organizações beneficentes regionais”, conta Daniele.

Instrumentos de transformação

Entre as iniciativas apoiadas pela CCR ViaOeste via Fumcad, merece destaque o projeto “Música e Cidadania", da Banda Conselheiro Mayrink. O trabalho é voltado à formação musical de 250 crianças e jovens em instrumentos como flauta, clarinete, saxofone, trompa, trompete e trombone.

O projeto atende crianças e adolescentes carentes de Mairinque (SP), São Roque (SP) e Ibiúna (SP). Além de aprender a tocar os instrumentos, elas têm uma oportunidade única de ter contato com a arte e até mesmo de integrar a formação profissional da banda do projeto.

“Além das participações em festivais e concertos, disputamos campeonatos realizados por federações de bandas e fanfarras. Atualmente somos heptacampeões do Estado e hexacampeões nacionais”, diz o maestro da Banda Conselheiro Mayrink, Alexandre Piccirillo.

No tom da evolução

De acordo com Piccirillo, parte dos alunos recebe uma bolsa-auxílio para estudar em conservatórios e faculdades do Estado.

“Em contrapartida eles atuam como monitores e compartilham seu conhecimento com os novos alunos. Também tenho orgulho de dizer que alguns dos jovens que passaram pelo projeto hoje estudam em universidades de música dentro e fora do país”, completa o maestro.